Como sair das dívidas

Como sair das dívidas? Descubra agora!

Poder sair das dívidas é algo de extrema importância para a qualidade de vida e bem-estar financeiro. Porém é preciso muito esforço, disciplina e abdicação de algumas coisas boas.

Por isso você precisa saber quais as melhores dicas para quitar as dívidas pendentes da melhor maneira possível, confira as dicas que preparamos:

1. Pesquise e anote todas as suas dívidas

O primeiro passo para se livrar das dívidas, consiste em conhece-las! Nesta etapa o mais importante é fazer uma pesquisa completa, levantando os seguintes dados:

  • Tipo de dívida;
  • Empresa credora;
  • Valor inicial;
  • Valor atual;
  • Custo efetivo total (juros + taxas);
  • Quantidade de meses.

Organize as suas dívidas em ordem decrescente de taxa de juros, assim fica mais fácil, saber qual deve priorizar na hora da negociação e pagamento.

2. Pesquise e anote todas as suas dívidas

Para que você consiga se organizar e possa ter suas dívidas pagas, é fundamental que você realize o diagnóstico da sua situação financeira atual, faça da seguinte forma:

  • Quanto você ganha por mês?
  • Quanto você gasta por mês?
  • Qual parcela do seu dinheiro está comprometida com dívidas?
  • Quais são as suas despesas fixas e variáveis?
  • Quanto você precisaria por mês caso acontecesse algum imprevisto (como demissão do seu emprego)

Dica: Organize todos os seus ganhos e despesas, todas as entradas e saídas. Se você não gosta muito de mexer com planilhas, saiba que existem diversos Apps com essa finalidade.

3. Monte seu plano de ação

Agora que você já conhece todas as suas dívidas, está na hora de definir o seu plano de ação.

Primeiramente, você deverá definir uma ordem de prioridade. Portanto, faça uma lista com as dívidas que serão pagas ou negociadas primeiro.

Além disso, priorize as dívidas com as maiores taxas de juros, como cheque especial e o rotativo do cartão de crédito, pois eles possuem um efeito bola de neve que faz com que o juros atinja patamares acima de 200% ao ano.

Uma excelente tática, é trocar as dívidas com juros altos por uma dívida com juros mais baixos, e para isso, recomendamos o nosso empréstimo pessoal, aqui mesmo da Monefy, onde você pode conseguir até R$2.000,00 sem comprovar renda e sem oferecer garantias.

4. Comece as negociações das dívidas

Após ter a lista de todas suas dívidas pronta, chegou finalmente a hora de  negociar com os credores. Por ordem de prioridade, entre em contato com cada um dos seus credores e mostre sua intenção de chegar a um acordo e ter as dívidas pagas.

Você vai se surpreender com as possibilidades de negociações, porém é importante ressaltar, que só deve finalizar uma negociação se tiver condições de cumprir o que foi acordado.

Após essas negociações, registre os novos valores e encaixe-os no seu orçamento, para que assim, você tenha bem claro quanto irá conseguir pagar todas suas dívidas.

5. Identifique e diferencie os gastos para sair das dívidas

Planejar bem os gastos e economizar dinheiro é essencial para saber como organizar as dívidas. Portanto, é preciso identificar e diferenciar suas despesas, você conseguirá isso com organização financeira.

É importante que você separe suas despesas essenciais dos desejos pessoais, por exemplo.

Isso te ajuda também no sentido emocional, já que ter suas necessidades em mente pode te estimular a seguir as demais dicas.

Além disso, saiba onde está cada gasto familiar. Isso é uma das coisas mais importantes para a organização das finanças.

6. Crie um orçamento para sair das dívidas

É fundamental ter seus gastos mensais organizados e separados em diferentes categorias (alimentação, moradia, saúde, lazer, dívidas entre outros).

Neste sentido, com o controle do seu dinheiro você poderá criar metas e se programar para estabelecer valores, dentro de um orçamento, que poderão ser gastos com cada tipo de categoria no mês.

Por exemplo: Você pode definir um orçamento com R$600,00 para alimentação, R$300,00 para lazer, R$300,00 para transporte etc. Assim, você deverá acompanhar e garantir que, dentro de condições normais, esses limites serão obedecidos.

Dessa maneira, com esses dados em mãos, é possível avaliar eventuais mudanças e realizar o planejamento do orçamento, definindo o que será destinado para quitação de dívidas. Com isso, você poderia definir os seus gastos como no exemplo a seguir:

  • 50% para gastos essenciais;
  • 25% para gastos não essenciais;
  • 25% para pagamentos de dívidas.

Contudo, ao planejar o seu orçamento, priorize o pagamento das dívidas. Afinal, não é possível ter uma vida financeira saudável ou alcançar a liberdade financeira se existem débitos, não é verdade?

7. Corte despesas desnecessárias

Cortar gastos desnecessários é um passo muito importante para um orçamento equilibrado.

Muitas pessoas se endividam porque além de gastar mais do que recebem, são também vítimas de compras por impulso.

Por exemplo,  aquele delivery quando há comida em casa, a compra de roupas ou calçados que não são realmente necessários, entre outras coisas do tipo.

Então, você pode começar com uma análise do seu orçamento, para identificar quais são as despesas que você usa pouco ou poderia encontrar um substituo barato.

Exemplo: Planos de assinatura de serviços pouco utilizados, como: Serviços de streamings, que você assina mais não utiliza.

Corte todos os gastos desnecessários, e em seguida busque cortar ou reduzir despesas do dia a dia.

Se você tem dificuldades para resistir a gastos por impulso, experimente algumas estratégias, como sair apenas com dinheiro vivo, deixando o cartão de crédito em casa, por exemplo.

8. Busque uma renda extra para se livrar das dívidas

Busque forma de complementar a sua renda pessoal ou familiar, através de uma renda extra.

9. Busque uma renda extra para se livrar das dívidas

A última etapa para ter as dívidas pagas e tirar elas de vez da sua vida, é a prevenção. Afinal, lembrar de todo o processo e sacrifícios feitos para conseguir pagar suas dívidas é crucial para que você nunca mais volte a se endividar novamente.

Seja como for, procure viver uma vida equilibrada financeiramente, monte uma reserva financeira e evite gastos por impulso para que você nunca mais volte a situação de endividamento.

#COMPARTILHE

Termos de busca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.